quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Dia Europeu das Línguas


Em 2001, celebrou-se o Ano Europeu das Línguas, numa iniciativa conjunta da União Europeia e do Conselho da Europa. Dado o êxito desta iniciativa, foi criado o Dia Europeu das Línguas, celebrado todos os anos a 26 de setembro, com os seguintes objetivos (de acordo com o site oficial-https://edl.ecml.at/Home/Whatisit/tabid/1760/language/pt-PT/Default.aspx) :
- Alertar o público em geral para a importância da aprendizagem das línguas e diversificar a oferta linguística de modo a incrementar o plurilinguismo e a compreensão intercultural;
- Promover a riqueza da diversidade linguística e cultural da Europa, que deve ser preservada e valorizada;
- Fomentar a aprendizagem de línguas ao longo da vida, dentro e for a da Escola, seja para fins académicos ou profissionais, seja para fins de mobilidade ou por prazer e intercâmbio.

ALGUNS FACTOS SOBRE AS LÍNGUAS
Sabia que...?

1 - Existem entre 6000 e 7000 línguas no mundo – faladas por 7 biliões de pessoas em 189 estados independentes.
2 - Existem cerca de 225 línguas autóctones na Europa – aproximadamente 3% do total mundial.
3 - A maioria das línguas do mundo é falada em África e na Ásia.
4 - Pelo menos metade da população mundial é bilingue ou plurilingue, ou seja, fala duas ou mais línguas.
5 - Os europeus têm cada vez mais contacto com línguas estrangeiras na sua vida diária. É necessário suscitar um maior interesse pelas línguas entre os cidadãos europeus.
6 - Muitas línguas têm 50 000 palavras ou mais, mas os falantes geralmente conhecem e utilizam apenas uma percentagem do vocabulário total: nas conversas do dia-a-dia, as pessoas usam habitualmente umas quantas centenas de palavras.
7 - As línguas estão sempre em contacto e influenciam-se mutuamente de muitas formas: o inglês assimilou palavras e expressões de muitas outras línguas no passado, as línguas europeias estão a apropriar-se de muitas palavras inglesas.
8 - No seu primeiro ano, um bebé pronuncia uma vasta gama de sons vocais; por volta de um ano de idade, pronuncia as primeiras palavras compreensíveis; aos três anos, forma frases complexas; aos cinco anos, uma criança já sabe vários milhares de palavras.
9 - A língua materna é geralmente o idioma que uma pessoa conhece melhor e utiliza mais. Mas existem casos de indivíduos “bilingues perfeitos”, que falam duas línguas com idêntico nível de proficiência. No entanto, regra geral, as pessoas bilingues não evidenciam um equilíbrio perfeito entre as duas línguas.
10 - O bilinguismo traz muitos benefícios: torna a aprendizagem de línguas adicionais mais fácil, melhora o processo de pensamento e promove o contacto com outras pessoas e as suas culturas.
Quer saber mais?

ALGUNS RECURSOS SOBRE O TEMA

terça-feira, 15 de maio de 2018

Todos a ajudar a Biblioteca Escolar



A Biblioteca Escolar da Escola Secundária da Moita agradece todas as doações que foram feitas ao logo do ano letivo pelas alunas e pelos alunos, professoras, professores, funcionárias e encarregadas/os de educação/pais de nossas alunas e nossos alunos.

(Oferta de manuais pela aluna Flávia S. à biblioteca escolar)

O vosso contributo é sempre bem vindo e serve todas as alunas e todos os alunos da nossa comunidade escolar.

O nosso muito obrigada a todas e a todos.

quinta-feira, 10 de maio de 2018

Autor em destaque: José Jorge Letria


Jornalista, poeta, dramaturgo, ficcionista e autor de uma vasta obra para crianças e jovens, José Jorge Letria nasceu em Cascais, em 1951. Estudou Direito, História e História de Arte na Universidade de Lisboa, sendo pós-graduado em Jornalismo Internacional e Mestre em “Estudos da Paz e da Guerra nas Novas Relações Internacionais” pela Universidade Autónoma de Lisboa. Doutorou-se com distinção em Ciências da Comunicação no ISCTE.
Foi, antes do 25 de Abril, um dos nomes mais destacados da canção da resistência (com vários discos gravados e centenas de espetáculos realizados, nomeadamente na Galiza e em Madrid, em l972 e l973) ao lado de nomes como José Afonso, Adriano Correia de Oliveira e Manuel Freire, tendo sido agraciado, em l997, com a Ordem da Liberdade pelo Presidente Jorge Sampaio.
Foi um dos poucos civis que se encontravam ao corrente do levantamento militar de 25 de Abril de l974, tendo colaborado com os militares na Direção da Emissora Nacional desde 27 de Abril desse ano. Foi responsável pela programação musical da estação oficial até meados de l975. Sobre a sua experiência na madrugada do 25 de Abril publicou, em l999, o livro “Uma Noite Fez-se Abril”.
Foi, desde l970 e até Dezembro de 2003, redator e editor de jornais como “Diário de Lisboa”, “República”, “Musicalíssimo”, “Diário de Notícias” e “Jornal de Letras”, tendo sido, igualmente, professor de jornalismo, experiência da qual resultou a publicação de três livros sobre a matéria. Foi autor de programas de rádio e de televisão, destacando-se, a esse nível, a sua participação, durante vários anos, na equipa de criadores da “Rua Sésamo”, em Portugal. Foi também correspondente de jornais estrangeiros, caso de “Tele-Express”, de Barcelona, autor dos textos do programa “Pastéis de Belém”, na TSF, e autor do ensaio “O Terrorismo e os Media - o Tempo de Antena do Terror”. Foi Vice-Presidente da Direção e da Administração da Casa da Imprensa.
Desempenhou, entre 1994 e 2002, as funções de vereador da Cultura da Câmara de Cascais. Foi distinguido, em Junho de 2002, com a Medalha de Honra do Município de Cascais, tendo sido atribuído o seu nome à Escola EB 1 da vila, por si frequentada na infância.
É, desde Janeiro de 2011, presidente da Sociedade Portuguesa de Autores.
Tem livros traduzidos em várias línguas (castelhano, francês, inglês, italiano, coreano, japonês, russo, búlgaro, romeno, húngaro e checo) e está representado em numerosas antologias em Portugal e no estrangeiro.
Com dezenas de livros publicados em diversas áreas, foi distinguido com importantes prémios literários nacionais e internacionais:
- Dois Grandes Prémios da APE (conto e teatro);
- Prémio Internacional Unesco (França); 

- Prémio Aula de Poesia de Barcelona;
- Prémio Plural (México);
- Prémio da Associação Paulista de Críticos de Arte (São Paulo);
- Prémio Gulbenkian;
- Grande Prémio Garrett da Secretaria de Estado da Cultura;
- Prémio Eça de Queirós - Município de Lisboa (duas vezes);
- Prémio Ferreira de Castro de Literatura Infantil (três vezes);
- Prémio “O Ambiente na Literatura Infantil” (três vezes);
- Prémio Garrett;
- Prémio José Régio de teatro;
- Prémio Manuel de Arriaga (Sociedade Protetora dos Animais);
- Prémio Maria Rosa Colaço;
- Prémio Nacional de Poesia Nuno Júdice;
- Prémio Camilo Pessanha do IPOR.
É um dos mais destacados nomes da literatura infanto-juvenil em Portugal e autor de programas de rádio e televisão.
É presidente da Direção e do Conselho de Administração da Sociedade Portuguesa de Autores, presidente do Comité Europeu da CISAC (Confederação Internacional das Sociedades de Autores e Compositores), membro da Direção do Grupo Europeu de Sociedades de Autores, com sede em Bruxelas, e membro do Comité Executivo do Writers and Directors Worlwide.

Obras para a infância e juventude:

Os instrumentos do maestro afinadinho

Histórias do arco-íris

Contos do tapete voador

Histórias do sono e do sonho

O homem que tinha uma árvore na cabeça


Histórias do espelho da lua


O livro das rimas traquinas

Portugal por miúdos


Lendas do mar


Capitães de Abril






Era uma vez um cravo

O 25 de Abril contado às crianças... e aos outros

Versos de fazer ó-ó

Histórias de ir à bola

O que eu quero ser...

Aqui há gato!

Lendas da Terra

Lendas e contos judaicos

Versos para os pais lerem aos filhos em noites de luar

Aristides de Sousa Mendes, um homem de coragem

Salgueiro Maia, o homem do tanque da liberdade

A minha primeira República

Machado dos Santos - O herói da Rotunda

http://www.josejorgeletria.net/1/biografia_biography_99569.html

quarta-feira, 25 de abril de 2018

O 25 de abril em imagens

Sobre o 25 de abril já muito se disse e muito haverá ainda que dizer.
Hoje, para celebrar esta efeméride, escolhemos apenas imagens; fotos tiradas nesse dia de abril de 1974, em que a liberdade saiu à rua e acabou com um regime ditatorial de décadas.










































Fonte: Centro de Documentação 25 de abril (http://www.cd25a.uc.pt/)