terça-feira, 31 de outubro de 2017

Tradições de Halloween

HALLOWEEN E DIA DE TODOS OS SANTOS

Se reparares no calendário da Igreja, vais reparar que cada dia tem um santo atribuído. No entanto, há mais santos do que os 365 dias do ano…
Por essa razão, a Igreja Católica escolheu o dia 1 de novembro para honrar a todos os santos existentes. Daí esse dia se chamar "Dia de Todos os Santos". Isso aconteceu no início do séc. VII, com o Papa Bonifácio IV.
E queres saber mais? As pessoas até criaram um santo que não tem dia: é do Dia de São Nunca. O dia em que as coisas nunca acontecem!
No século X, a Igreja dedicou o dia 2 de novembro às almas, em memória de todos os falecidos.
Sabes de onde vem a palavra Halloween? É que Dia de Todos os Santos diz-se em inglês All Hallows Day. Os ingleses davam muita importância à noite anterior, que se diz All Hallows Even; daí a palavra Halloween.

Halloween, Dia de Todos os Santos e Dia de Finados (dos Mortos) passaram a fundir-se numa mesma tradição.

HALLOWEEN - A NOITE DAS BRUXAS


A Noite das Bruxas celebrava-se na véspera do Dia de Todos os Santos e acreditava-se que nessa noite os fantasmas voltavam à Terra em busca de alimento e companhia para levarem para o outro mundo.
Assim, as pessoas pensavam que encontravam almas penadas se saíssem de casa nessa noite. Por isso, para não serem reconhecidas pelos fantasmas, usavam máscaras quando saíam de casa, para serem confundidas com espíritos que andavam à solta a tentarem apanhar almas vivas.
E para manter os espíritos longe de casa, as pessoas colocavam tigelas de comida à porta para os satisfazer e os impedir de entrar. Também para se proteger, carregam lanternas, porque a luz e os fantasmas não se dão muito bem… 

LANTERNAS DE ABÓBORA

O uso da abóbora iluminada, chamada "Jack o' Lantern" no dia do Halloween surgiu com os irlandeses.
Sabes como fazer uma abóbora esculpida?
Começa por pedir ajuda a um adulto.
Vais precisar de:
- uma colher grande ou uma colher de gelados;
- uma faca afiada (deve ser usada pelo adulto);
- folhas de jornal, para não sujares a cozinha toda;
- 1 vela pequena.
Com a faca (que deverá ser comprida) corta uma espécie de tampa na abóbora, na parte de baixo (cuidado para não furares os lados da abóbora). O buraco deverá ser grande o suficiente para tirares o recheio (polpa e sementes) de lá de dentro. 
Tira tudo cá para fora com a ajuda da colher. Limpa também a «tampa» que retiraste para abrir a abóbora.
Coloca a abóbora numa mesa e verifica qual é o seu melhor lado para começares a esculpir. 

Imagina a «cara» que queres fazer e usa a faca para, cuidadosamente, retirares as partes individuais que não te interessam. Se precisares de ajuda, usa uma caneta para fazeres as marcações antes de começares a cortar.

Assim que terminares de cortar, empurra devagarinho as peças recortadas para veres o resultado final.
Se tudo estiver perfeito podes passar à parte da vela. Se tiveres limpo bem a «tampa» da abóbora (deixando-a nivelada), a vela ficará perfeitamente estável. Depois é só acenderes a vela e colocares a abóbora por cima com o «rosto» virado para o sítio onde os teus convidados irão estar!



TRADIÇÃO DO PÃO POR DEUS

Em Portugal, no dia de Todos os Santos, de manhã bem cedinho, as crianças saem à rua em pequenos grupos para pedir o "Pão por Deus".
Ao pedir o "Pão por Deus", cantam-se as seguintes cantilenas enquanto se anda de porta em porta:
"Pão por Deus,

Fiel de Deus,

Bolinho no saco,

Andai com Deus."


"Bolinhos e bolinhós

Para mim e para vós

Para dar aos finados

Qu'estão mortos, enterrados
À porta daquela cruz

Truz! Truz! Truz!
A senhora que está lá dentro
Assentada num banquinho
Faz favor de s'alevantar
P´ra vir dar um tostãozinho."



Quando os donos da casa dão alguma coisa:

"Esta casa cheira a broa

Aqui mora gente boa.

Esta casa cheira a vinho

Aqui mora algum santinho."


Quando os donos da casa não dão nada:

"Esta casa cheira a alho

Aqui mora um espantalho

Esta casa cheira a unto

Aqui mora algum defunto."

Passeiam assim por toda a povoação e ao fim da manhã voltam com os seus sacos de pano cheios de romãs, maçãs, doces, bolachas, rebuçados, chocolates, castanhas, nozes e, às vezes, até dinheiro! 
Há povoações em que se chama a este dia, o "Dia dos Bolinhos". 



Sem comentários:

Enviar um comentário